domingo, 12 de julho de 2015

Justiça Humana

















Temos justiça? Temos sim preguiça!
Mal advogado, bem pior o juiz...
Um julgamento só pra encher linguiça.
Vou ser julgado só que nada fiz!

Vai depender da grana que eu tiver!
Um bom negócio é Justiça Humana
e seu freguês é quem vier e der!
Dinheiro é bom e quem falhar se dana!

Roubar galinha dá cadeia brava
mas se roubar fortuna não dá nada,
pois vai comprar defesa boa agora!

Temos Justiça? Temos sim barganha!
Enquanto o pobre perde, o rico ganha!
Quanto mais rica a causa, mais se explora!

..

English version:

Human Justice

We have justice? We have is laziness!
Evil lawyer, worse the judge ...
A judgment just to fill sausage.
I will be judged but that I did nothing!

It will depend on the money that I have!
A good deal is Human Justice
and your customer is who come and give!
Money is good and who fail loses!

Steal chicken gives harsh prision
but if steal fortune doesn't anything,
Because will buy good defense now!

We have justice? We have is bargain!
While the poor lose, the rich win!
How much more rich the cause, more is explore!

..

Deutsch Fassung

Menschliche Gerechtigkeit

Wir haben Gerechtigkeit? Wir haben, ist Faulheit!
Böse Anwalt, schlimmer der Richter ...
Ein Prozess, nur um Wurst zu füllen.
Ich werden untersucht, sondern, ich machte nichts!

Wird abhängen auf das Geld, dass ich habe!
Ein gutes Geschäft ist die menschliche Gerechtigkeit
und Ihre Kunden ist, die kommen und zu geben!
Geld ist gut und wer ausfallen, verliert!

Stehlen Huhn fideikommisse harte gefängnis
aber wenn stehlen Milliarde fideikommisse nichts,
denn gehen kaufen gute Verteidigung jetzt!

Wir haben Gerechtigkeit? Wir haben es Schnäppchen!
Während die Armen verlieren, die Reichen gewinnen!
Wie viel mehr reichen die Ursache, mehr erkundet ist!



Acyr - 08/07/2015

quinta-feira, 2 de julho de 2015

A última Barba













(Soneto à uma gilete gasta!)

Ela raspou do rosto o pelo duro!
Pele que fica lisa é outra história!
A impressão que passa: Limpo e puro!
Pronto pr'a ir viver a vida em glória!

Com segurança, ele fala à junta
que vai lhe abrir caminho, a porta certa,
quando responde "não" à vil pergunta:
"Uma mulher que bebe está aberta?"

Não fosse pela barba feita bem,
um dia antes, não seria pego!
Agora é só dizer bem alto: Amém!

Emprego ganho, joga fora aquela
gilete gasta, cheia de cabelo...
mas que lhe fez vencer sem ter sequela!

..

English version:

The last Beard
(Sonnet to a useless razor!)

She scraped of the face, the hard hair!
Skin that stay smooth is another story!
The impression that pass: Clean and pure!
Ready to go enjoy the life in glory!

Safely, he talks to the interviewers
that go open the way, the right door,
when answered "no" `to vile question:
"A woman that drink is open?"

If it was not for the beard shaved well,
the day before, he would not be contracted!
Now just say out loud: Amen!

Job conquered, he throw away those
razor worn, full of hair ...
but that made he win without sequel!

Acyr - 01/07/2015

segunda-feira, 23 de março de 2015

Flor do Verão



Arde o suor nas quentes costas nuas!
Minhas vontades cheiram pele, terra,
a labutarem sós pelas vãs ruas!
Meu ego tenso por ajuda berra!

Lágrimas mortas caem rente ao chão
ainda quentes, sol marcado nelas,
dizendo adeus. Sim, vai feliz verão!
Não haverão mais noites como aquelas!

Bela morena! Foi-se a flor alegre!
Longe ela mora! Eu não posso ir!
Lá sou estranho. Nada que me regre...

Acordo! Sinto à frente um doce odor!
Frutas eu vejo.  Deus as fez-se abrir!
Chegou o outono! Volte linda flor!

..

English version

Flower of the Summer

Burn the sweat in the hot coasts naked!
My desire smell skin, ground,
working alone by the empty streets!
My tense ego screams for help!

Dead tears fall flat on the ground
still hot, sun marked therein,
saying goodbye. Yes, go happy summer!
There will be no more nights like those!

Beautiful brunette! Gone was the happy flower!
Away she lives! I can't go over there!
There I'm weird. Nothing that change me ...

I awake! I feel a sweet smell!
Fruits I see. God made them to open!
Came the autumn! Go back beautiful flower!


Acyr - 23/03/2015

sábado, 9 de agosto de 2014

Adeus Dentista


De boca aberta espero pela broca
a perfurar ainda mais meu dente!
Curar a dor que a tempos me choca!
Melhor agora antes que ela aumente!

Clave de Sol, porque já fui maloca!
Buracos negros que não cheiram gente!
Molar ferido é como pé sem bota!
Quanto mais demorar, mais estridente!

Anestesia! Boca igual a limbo!
Na maquininha que perfura rente
a esperança d'um sorriso lindo!

Adeus dentista! Espero te encontrar!
Teus bons conselhos ouvirei contente!
Os dos meus pais eles vão me lembrar!

Acyr - 08/08/2014

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Ceia Bicho




I:
Quando amanhece um novo dia triste
meu grande amor distante está de mim!
Negro horizonte que me cerca, em riste
desassossego que persegue o fim!

Da mesa farta em que mastigo lixo
resta o mal cheiro da ferida ardente!
Engulo os restos dessa ceia bicho
até cuspir um salve fraco e quente!


II:
Eis que desmontam, se encaixotam galhos
mortos, cadáveres de plantas lidas
a pouco usados para enfeitarem, falhos,
a hipocrisia que nos cerca as vidas!

O nojo fica pra borrar a mente
juntando vermes esquecidos. Morto
serve de adubo pro natal descrente
que pinta a foto de um passado torto!

Falsa alegria, passageira fé!
Depois só o nada. Nada fica em pé!
Este é o presente que você não quer!

Te dou em troca, prostituta feia,
estes meus porcos pensamentos. Leia!
Faça com eles o que bem quiser!



III:
Dos negros dias, qual fantasma forte,
protuberante chicotada vem!
É quando pôs no meu passado a morte
pois, sorrateira, nem convite tem!

Sinto saudades dos meus anos de ouro!
Belos sorrisos, verdadeiros gritos...
Minha inocência, meu maior tesouro
obliterada por gelados mitos!



Acyr - 02/01/2014

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

O Falso Poeta


 Escute este soneto aqui: http://www.youtube.com/watch?v=lB2Cgia_Glk


    O Tiririca de Beca. A ABL não é séria.

Falsos poetas são os que gostam de pompa e reconhecimento
político, ostentando como suas o que a todos pertence: 
As palavras.

Vejo pessoas que jamais fizeram
Ou publicaram qualquer rima boa!
Somos poetas sim - Pra nós disseram!
Balela pura! Só conversa a toa!

Amantes são de vãs medalhas ocas!
Fazem concursos pra ganharem nada
Pois nada útil sai daquelas bocas!
Cada um deles a si próprio agrada!

Seu rude plágio é zé ninguém caçula!
Reza sem fé repetições de bula!
Não justifica essa brilhante beca!

Pobre semblante no qual grassa o verme!
Pó vagabundo que te enfeita a derme!
Rasgo o papel no qual você defeca!

..

The False Poet

False poets are those who like pomp and politic recognition,
as their flaunting as his what belongs to everyone:
The words.


I see people who have never done
Or published any good rhyme!
Yes we're poets - For we said!
Pure bullshit! Only talk for nothing!

Are Lovers of vain and hollow medals!
Make contests to win nothing
Because anything useful comes out of those mouths!
Each one pleases himself!

His coarse plagiarisms is nobody youngest!
Prays without faith repetitions of bulla!
Not justifies this brilliant gown!

Poor countenance in which rages the worm!
Tramp cosmetic who adorns your dermis!
I tear the paper at which you defecates!

Acyr - 03/11/2013

domingo, 6 de outubro de 2013

Angústia de Outubro


Chegou outubro, terminou o ético
Tempo de andar pela cidade chique
Acompanhando com ardor frenético
A multidão se despencar do dique!

Começa a época de vento tétrico!
Casas caídas. Vidas vão sem crime
Somando pontos em pasquim simétrico
Enriquecendo o editor do time!

Observo nuvens com olhar de bobo!
Me vi com medo de sair do globo
Que está molhado pelo céu que cai!

Me fez lembrar daquele amor que tive!
Com certeza você ainda vive
Naquele tempo que pra longe vai!

..

English version:

Anguish of October

Arrived October, finished the ethical
Time to walk in the city chic
Accompanying with frantic flaming
The crowd plummet of dyke!

Begins the season of Wind gloomy!
Homes fallen. Lives that will with no crime
Adding points in the symmetric quibbler
Enriching the publisher of the team!

I Observe clouds with look of silly!
I found myself afraid to leave the globe
What is wet the sky that falls!

Make me reminded of the love that I had!
Surely you still live
At that time that far away now go!

Acyr - 06/10/2013

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Gagueira



As lembranças da turba que sorria
da cor da minha face: Vermelho tinto!
Falhava o vernáculo, rubro ardia
de tristeza, mesmo n'um dia lindo!

Jovem tolhido qual gato que mia...
Diante de cães ladradores seguindo
aprendendo a perceber ironia
nas retóricas vozes retinindo

Prosaicos fonemas eu repetia
enquanto a farândola me rugia
n'um desterrado tempo agora findo!

Mas Deus me fez ver o que antes não via!
Desfraldei da minha boca a fé qual guia
que da minha língua destravou-lhe o trinco!

..

English version:

Stuttering

The memories of the rabble who smiled
of the color of my face: Red wine!
Failed the vernacular, crimson blazed
of sadness, even on a gorgeous day!

Young dwarfed even cat that meow ...
Front of dogs barking by following
learning to understand irony
in the rhetorical voices clanking!

Prosaic phonemes I repeated
while the farandole roared to me
In an outcast period now ended!

But God made me see what before I no saw!
Open of my mouth the faith as guides
that of my tongue unlocked the braid!

Acyr - 30/08/2013





quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Ressaca

     Ressaca!

A lógica se perde onde eu me sento!
Ótima pedida: Passar das onze!
Pela ótica da mesa estou dentro!
Doce vodka que vem desta fonte

Logo o sorriso se torna um lamento!
No intestino uma grande hecatombe:
Tomba-se a diabólica noite ao vento
que sopra forte do meu peito ardendo!

Na gótica maquiagem que se irrompe,
minha face deformada se esconde
triste, do escárnio e do arrependimento!

A cólica que se segue vem de onde
não deveria haver sequer a ponte
execrável entre a paz e o tormento!

..

English version:

Hangover

The logic is lost where I sit!
great choice: Pass of eleven o'clock!
By the optical of table I'm in!
Sweet vodka that comes from this source

Soon the smile becomes a lament!
In the intestine a grievous hecatomb:
fell the diabolical night in the wind
that blowing strong from my burning chest!

In Gothic makeup that erupts,
my face deformed hides
sad, of the derision and repentance!

The colic that following comes whence
not should be no even  the bridge
execrable between peace and the torment!

Acyr - 29/08/2013

Ela

Praça Dom Epaminondas (anos 40). Em Taubaté-SP

Ela produz vagabundos sem meta!
Culpa dela se o dia não tem graça
e se o policiamento não trafega
deixando o infeliz na mão da desgraça!

Ela se comporta igual uma cadela,
sorrindo na beirada sempre vaga,
que esconde a prostituta que te pega
pr'a te oferecer uma doença paga!

O rico, o pobre e o mendigo estão nela!
Tal mistura poderia ser bela,
só que você entre eles não estava!

Naquele dia, assim, não gostei dela!
Sei que desta vida nada se leva...
Fui embora também... Esvaziou-se a praça!

..

English version:

She

She produces aimless vagabonds!
Her fault if the day isn't funny
and if the police doesn't travel
leaving the hapless in the hand of doom!

She behaves like a slut,
smiling on the edge always vague,
that hides the prostitute who picks you up
for offer to you a paid sickness!

The rich, the poor and the beggar are in it!
Such a mixture would be beautiful
just that you weren't among them!

On that day, thereby, I not liked hers!
I know that this life doesn't takes nothing  ...
I went away too ... Emptied the square!

Acyr - 28/08/2013